SeuVício
Início » Vaper é prejudicial à saúde? Vaporizador divide opiniões…

Vaper é prejudicial à saúde? Vaporizador divide opiniões…

Deseja parar de uma vez por todas? Se você cansou de tentar parar de fumar e não conseguiu, então você PRECISA conhecer essa metodologia nova que não usa remédios nem chiclete. Clique aqui para saber como parar de fumar para sempre!

Vaper é prejudicial à saúde? O tema não é simples de explicar, até porque o produto é recente, e os efeitos em longo prazo da prática de vaporar sequer são conhecidos. Ainda há uma estrada extensa a percorrer. E a ideia aqui não é fazer qualquer tipo de julgamento, apenas levantar alguns pontos.

A luta contra o tabagismo requer ajudas diversas, pois nem sempre é fácil, dependendo do nível do vício. Para muitos, uma das melhores alternativas atuais é o Vaper, o vaporizador pessoal. Mas será que objetos assim fazem mal à saúde?

Os defensores do Vaper (chamados de vapers) são, em sua maioria, ex-fumantes que não conseguiram deixar o vício por intermédio de outros métodos. O grande argumento deles é que os “possíveis males do vapor, caso existam, são bem menores quando comparados aos do tabaco”.

Os vapers alegam também que a troca do cigarro comum pelo vaporizador pessoal trouxe melhorias praticamente imediatas na respiração, além de olfato e paladar renovados em semanas. Sem falar no adeus ao cheiro de cigarro que impregnava tudo. Disto isto, preciso trazer mais informações para que você possa tirar suas próprias conclusões…

Li sobre estudo no qual os cigarros eletrônicos e similares, mesmo sem nicotina, são prejudiciais porque possuem substâncias que afetam as células dos pulmões.

Por isso, soluções disponíveis no mercado atualmente, como o Vaper, devem ser utilizadas com cautela. O ideal é sempre contar com acompanhamento médico especializado para escolher o tratamento adequado a cada caso.

Vaper é prejudicial à saúde? Pode ser. Em países como os Estados Unidos, a “moda” do cigarro eletrônico vem conquistando cada vez mais adeptos, chegando a superar os cigarros convencionais entre públicos específicos, como os estudantes secundaristas.

Contudo, é necessário continuar investigando o efeito do vaporizador pessoal, um produto relativamente novo e com consequências em longo prazo ainda desconhecidas.

O fato é que, seja o Vaper ou qualquer outro dispositivo similar ao cigarro eletrônico, é preciso fazer mais pesquisas, embora algumas delas já mostrem que os componentes encontrados em soluções disponíveis atualmente no mercado tendem a provocar inflamação nos pulmões.

 

Vaper é prejudicial à saúde? Entenda melhor a controvérsia

Vaper é prejudicial à saúde? Tudo indica que sim. Entretanto, a tecnologia de vaporização pessoal e/ou cigarro eletrônico gera tanta polêmica que as posições dos países em relação a ela variam. É um verdadeiro “vapor da discórdia”.

Apesar da restrição da Agência Nacional de Saúde (Anvisa), que ainda não regulamentou sequer os cigarros eletrônicos, e dos questionamentos dos médicos, brasileiros conseguem driblar a proibição da venda de dispositivos do gênero, que são comercializados abertamente na internet.

Aparelhinhos como cigarro eletrônico e Vaper estão supostamente auxiliando fumantes no abandono do tabagismo. Porém, os especialistas ainda têm muitas dúvidas, são reticentes ao afirmar que os equipamentos são “menos nocivos”. Eles aguardam estudos mais conclusivos.

Por outro lado, veja o caso do cigarro eletrônico, por exemplo: há quem diga, com base em estudo feito lá no Reino Unido, que ele é 95% menos prejudicial à saúde do que o tabaco tradicional.

Enquanto isso, outra pesquisa diz que o cigarro eletrônico tende a ser até 15 vezes mais cancerígeno que o convencional, e que seus usuários costumam absorver cinco vezes mais formaldeído, uma substância altamente tóxica.

Para chegar a tais conclusões, os cientistas expuseram ratos e células humanas tanto ao cigarro comum quanto às soluções de cigarros eletrônicos (com e sem nicotina).

Pela análise, ficou claro que a nicotina afeta as células pulmonares de tal forma que a barreira endotelial do pulmão perde sua função. E mais: acontece a inflamação local e a redução da proliferação de células endoteliais.

Apesar de os efeitos terem sido notados na fumaça do cigarro tradicional e nas soluções de cigarros eletrônicos com nicotina, as formulações livres desta substância não estão isentas de riscos, de causar malefícios.

A acroleína, encontrada na solução e no vapor, demonstrou capacidade de atacar moléculas que unem as células endoteliais, provocando danos ao pulmão.

Enfim, o que relato neste artigo, resultado de pesquisa em diversas fontes, serve de alerta sobre a inalação de cigarros eletrônicos e vaporizadores pessoais. Os efeitos descritos são de curto prazo, mas não devem ser desprezados.

É interessante destacar sobre a pergunta “Vaper é prejudicial à saúde?” que, mesmo este produto sendo mais novo que o cigarro eletrônico, o segundo é, na verdade, um vaporizador também. Então, é bom pensar antes de aderir a um deles. Converse com seu médico.

Cuide-se! Até breve…